A Falta de sexo nas mulheres provoca atrofia

É uma condição dolorosa que pode deixá-la com comichão e até mesmo ardor.

 

E não, não é uma doença sexualmente transmissível.

Estamos a falar de atrofia vaginal, condição comum, mas tratável, que faz com que a parede vaginal fique fina. E, embora possa ser um problema para as mulheres de qualquer idade, é mais provável que afete as mulheres que estão a atravessar ou já tiveram a menopausa.

Isso ocorre porque o corpo produz menos estrogénio do que o normal, o que tem efeito sobre como a forma como a parede vaginal se comporta.

A Clínica Mayo (Mayo Clinic) vem agora dizer, num estudo, que a atrofia vaginal é provocada pela falta de sexo. Mas que também pode ocorrer em mulheres que receberam tratamento de cancro, especialmente naquelas que tiveram tratamento hormonal para cancro da mama.

Sim, o estudo é real, assim como a clínica.

E se os sintomas (ardor, comichão, dificuldade em fazer xixi e dor durante o sexo) podem fazê-la pensar em deixar de ter relações sexuais para sempre, nada mais errado. É que os orgasmos regulares – dados pelo/a seu/sua parceiro/a ou através da masturbação – podem realmente afastar os sintomas desagradáveis.

E a chave é o aumento do fluxo sanguíneo para as regiões inferiores quando se atinge o clímax.

Louise Mazanti, uma terapeuta sexual com sede em Londres, disse ao jornal ‘The Sun’: “É muito importante que tenhamos uma vida sexual saudável com um parceiro ou connosco próprias”.

“Muitas vezes as pessoas dizem: ‘Não tenho vida sexual porque não tenho parceiro’. Mas esqueça isso e tenha um relacionamento sexual com você mesmo. Trata-se de fazer massagens e tocar o tecido para que fique vivo, o sangue flui e o tecido torna-se elástico. Trata-se realmente de exercitar o tecido”, continuou.

Aumentar o fluxo sanguíneo aumenta o envio de oxigénio para a vagina, o que significa que é menos provável que se torne inflamado, fino ou seco.

De acordo com Mazanti, se as células não estão a receber oxigénio suficiente, elas não podem eliminar o desperdício do tecido, o que pode causar inflamação que leva a problemas como a atrofia vaginal.

Uma acumulação de toxinas também pode impedir que nutrientes vitais cheguem às células, o que pode deixar o tecido um pouco mais fraco e mais fino.

Louise Mazanti também disse que perder a habilidade de fazer sexo não é apenas um problema físico, pode ter alguns efeitos colaterais sérios na saúde mental de uma pessoa.

“Quando a sua capacidade de fazer sexo e o seu desejo diminuir, é uma grande mudança de identidade. Você começa a questionar-se: ‘Quem sou eu agora se não sou a mulher sexual que costumava ser?’ Pode causar depressão, uma crise de identidade e uma profunda crise existencial”.

Sintomas
Dependendo de quão grave a condição é, pode ter uma variedade de sintomas, incluindo:
• Secura
• Sensação de ardor, especialmente ao fazer xixi
• Descarga
• Comichão
• Urgência para fazer xixi
• Infeções do trato urinário
• Incontinência
• Sangramento leve após o sexo
• Desconforto durante o sexo
• Secura durante o sexo
• Um encurtamento ou aperto da vagina

Causas
A atrofia vaginal é geralmente causada por uma diminuição na produção de estrogénio. O estrogénio é a principal hormona que regula o ciclo menstrual da mulher e controla a ovulação.
Também é responsável por engrossar a parede vaginal e faz com que ele liberte mucosas assim que uma rapariga atinja a puberdade.
Ao parar de produzir estrogénio, as paredes da vagina podem tornar-se magras e secas.

A atrofia vaginal é mais comum em mulheres que passaram pela menopausa, mas certos tratamentos contra o cancro e tratamentos hormonais também podem causar isso.

As mulheres que são fumadoras, que nunca tiveram parto vaginal ou que não fazem sexo ou masturbação também estão mais em risco. Isto porque o tabaco faz com que a vagina e outros tecidos não recebam oxigénio suficiente, além de reduzirem os efeitos do estrogénio.

Tratamento
Os hidratantes e lubrificantes vaginais podem ser utilizados para tratar a secura e ajudar a melhorar sua vida sexual.

Pode ter que aplicar hidratante a cada dois a três dias, mas os efeitos geralmente duram mais do que o lubrificante.

Um lubrificante é usado principalmente para tornar o sexo mais fácil e agradável.

Se os sintomas não melhorarem, pode recomendar-se terapia de estrogénio sem receita médica.

Os cremes podem ser inseridos na vagina diariamente para restaurar o tecido. Já os comprimidos de estrogénio também podem ser recomendados para ajudar a restaurar os níveis naturais do organismo.

 

 

Social Media - Compartilhe Dicas, Informação, Viagens e Saúde
Attachments

Postagems importante

thumbnail
hover

Brasil tem recorde de assassinatos em...

Brasil tem recorde de assassinatos no campo em 2017, mas só dois casos são esclarecidos 57 ativistas que lutavam por terra ou defesa do me...

thumbnail
hover

A Gestação de uma gata

Gatos e cães são, sem dúvida, os animais de estimação mais próximos do homem, especialmente felinos que vivem com ele desde tempos i...

thumbnail
hover

Robô para fazer sexo é lançado...

O novo modelo do robô RealDoll, destinado para práticas sexuais, estava presente na CES 2018, maior feira de tecnologia do mundo Parece qu...