Uber é Investigada após esconder roubo de dados de Clientes

A Uber Reconhece o Roubo dos dados dos seus 57 milhões de usuarios em todo o mundo e de 600 mil motoristas

Os procuradores, Eric Schneiderman, e do Connecticut, George Jepsen, abriram um inquérito contra o Uber, confirmaram nesta quarta-feira (22) à agência France Presse.

A empresa revelou na noite de terça-feira (21) que o roubo, ocorreo em outubro de 2016 e que a manteve secreta durante mais de um ano.

 

Os nomes dos usuários, bem como os seus endereços eletrônicos e números de celuar, foram roubados, indicou o novo presidente executivo do grupo, Dara Khosrowshahi. Os nomes e números das carteiras dos motoristas também foram pirateados.

Análises feitas por peritos externos levaram Khosrowshahi a garantir que, pelo contrário, o histórico dos percursos, os números de cartões de crédito e contas bancárias, os números da segurança social e as datas de nascimento dos usuários não foram pirateados.

Os serviços de Schneiderman não detalharam o objeto do seu inquérito, mas a Uber tinha concluído com este procurador um acordo, em janeiro de 2016, sobre a proteção dos dados dos seus clientes.

Este acordo seguiu-se a um outro inquérito aberto em 2014, incidindo sobre outra ação de pirataria que tinha também visado a Uber, que tinha pago uma multa de 20 mil dólares por não a ter revelado em tempo. Esta ação apenas visou os dados relativos aos motoristas.

O gabinete de advogados norte-americano Keller Rohrback anunciou também que tinha aberto o seu próprio inquérito sobre esta última ação de pirataria aos utilizadores do app para que estes se apresentassem. Este gabinete especializou-se em ações em nome coletivo resultantes de pirataria informática.

Fontes conhecedoras do caso adiantaram que a Uber teria pago 100 mil dólares aos piratas para que estes não divulgassem a existência do incidente e que destruíssem as informações obtidas.

“Ao decidirem não revelar esta ação de pirataria massiva e procurarem atenuar as consequências, pagando aos piratas para destruírem os dados, a Uber jogou com os dados pessoais dos seus utilizadores e motoristas”, afirmou Cari Campen Laufenberg, advogado na Keller Rohrback, em comunicado.

“Além disso, a Uber escondeu mais de um ano, privando as vítimas de um tempo precioso para tomarem medidas para atenuar (as consequências do) roubo dos seus dados privados”, acusou a mesma fonte.

Este novo problema acontece depois da chegada à cabeça do grupo de Dara Khosrowshahi, no final de agosto, depois de uma longa procura do substituto de Travis Kalanick, o fundador do grupo forçado a sair por investidores desejosos de restaurar a imagem do grupo.

A Uber pretende estar cotada em bolsa em 2019, pelo que antes disso vai ter de se apresentar de mãos limpas às autoridades bolsistas norte-americanas, que vão investigar a fundo as suas contas. Terá também de convencer os investidores potenciais que a era dos escândalos associada a Travis Kalanick já pertence ao passado.

O ex-presidente do grupo tinha sido avisado da pirataria quando ocorreu, mas decidiu mantê-la sob segredo. Com informações da Agência Lusa.

 

 

Social Media - Compartilhe Dicas, Informação, Viagens e Saúde
Attachments

Postagems importante

thumbnail
hover

Assim foi visto o eclipse lunar...

É assim que o eclipse lunar total foi visto em diferentes cantos do mundo Durante a noite de sexta-feira, 27 de julho, um dos fenômenos m...

thumbnail
hover

Brasil tem recorde de assassinatos em...

Brasil tem recorde de assassinatos no campo em 2017, mas só dois casos são esclarecidos 57 ativistas que lutavam por terra ou defesa do me...

thumbnail
hover

A Gestação de uma gata

Gatos e cães são, sem dúvida, os animais de estimação mais próximos do homem, especialmente felinos que vivem com ele desde tempos i...